OLÁ, SEJAM BEM-VINDOS

Com grande esforço e dedicação na construção do meu primeiro blog - AULAS100 Ensinando Informação e Conhecimento (http://aulas100.blogspot.com/) - em 28 de abril de 2009, obtive resultados bastante satisfatórios, comprovados pelo selo TOP100/2009 que ganhei, graças aos votos dos leitores que gostaram do meu espaço educativo.

O incentivo me levou a elaborar a Sala de Reflexão para a divulgação de textos sobre o amor em todos os sentidos e valor educacional na escola e na família, com o objetivo de elevar a autoestima e restaurar o equilíbrio emocional.

18/10/2013

Medo de decepção amorosa, por quê?

Nas redes sociais, grande parte do público comenta que algumas pessoas não querem assumir compromisso sério por medo da desilusão ou decepção.

Não dá pra entender por que essas pessoas afirmam isso de imediato, como se fosse uma lei engessada imposta pela própria sociedade que ensina coisas equivocadas, principalmente coisas associadas a relacionamentos.

Em primeiro lugar, não se pode generalizar, apesar de que cada indivíduo tenha motivos para pensar que a maioria não valoriza a vida a dois de forma séria.

É preciso ter argumento mais convincente para que se afirme o pensamento do primeiro parágrafo. Medo de se decepcionar por quê? Se a pessoa já passou por muitas situações durante a vida a dois, sofrendo com discussões, de alto ou baixo grau de ofensas verbais, analisando os prós e contras de um namoro, então qual o motivo de pensar que vai se decepcionar?

A pessoa madura, com experiência suficiente para encarar novos relacionamentos, não terá medo da desilusão porque já conhece as desculpas esfarrapadas do seu par, os gestos, os comportamentos já manjados quando o parceiro ou parceira não tem coragem de conversar sobre o desgaste da relação.

Nessa falta de coragem, talvez por imaturidade ou por possuir atitude leviana, o parceiro ou parceira utiliza recursos teatrais com demonstrações de frieza e condutas medíocres (piadinhas de mau gosto, deboches, ofensas verbais sem motivo aparente), para fazer a pessoa terminar o relacionamento e o seu par  querer se sentir vítima da história. É lamentável isso.

Uma das condutas mais repugnantes é quando esse tipo de parceiro ou parceira sai com a pessoa e, nessas tantas saídas, não sente vontade de andar de mãos dadas. Por incrível que pareça, a pessoa madura deve evitar questionar essas posturas infantis do seu par imaturo.

Pode-se notar que, na maioria das vezes, a pessoa que mais sofre com esses comportamentos do seu par medíocre é justamente é a que leva a relação a sério.

Portanto, é necessário cautela quando vai se afirmar que as pessoas não querem namorar não por medo da decepção; e, sim, porque não vale a pena estar com alguém que ainda não aprendeu a ter coragem em dizer que a relação não vai bem por não sentir mais amor e, por isso, vai continuar preferindo ser ator ou atriz.

0 comentários :

Postar um comentário

Assuntos anteriores