OLÁ, SEJAM BEM-VINDOS

Com grande esforço e dedicação na construção do meu primeiro blog - AULAS100 Ensinando Informação e Conhecimento (http://aulas100.blogspot.com/) - em 28 de abril de 2009, obtive resultados bastante satisfatórios, comprovados pelo selo TOP100/2009 que ganhei, graças aos votos dos leitores que gostaram do meu espaço educativo.

O incentivo me levou a elaborar a Sala de Reflexão para a divulgação de textos sobre o amor em todos os sentidos e valor educacional na escola e na família, com o objetivo de elevar a autoestima e restaurar o equilíbrio emocional.

24/10/2015

Silêncio Impulsivo

Nem sempre silenciar é parar de falar com alguém. Nem sempre é deixar de dar atenção a alguém. O tempo e a cabeça fria ajudam a analisar melhor esse tipo de situação. Do contrário, sempre haverá essa queda de braço: um fica em silêncio e o outro também fica em silêncio. É mais ou menos por aí.

Às vezes o silêncio acontece impulsivamente, involuntariamente, sem a intenção de destruir qualquer tipo de interação.
Esse tipo de silêncio pode resultar de um mau entendido, de uma ofensa verbal ou de certos comportamentos imprudentes.
Em relação a comportamentos imprudentes, o avanço do mundo virtual incentiva cada vez mais a maioria das pessoas a optar resolver problemas pessoais através de redes sociais.
Quando a distância é muito quilométrica (entre dois estados ou dois países), esse meio de comunicação é até aceitável e compreensível.
Para quem tem hábito de enfrentar cara a cara os problemas pessoais (o agora famoso 
face to face), grande parte das decisões podem ser resolvidas pessoalmente, desde que as 
duas pessoas tenham maturidade para aceitar o que for melhor para ambas.
Imaginemos duas pessoas Mike e Crystal. Se Myke é maduro e tem a tranquilidade 
suficiente para entender e aceitar a decisão de Crystal, que necessidade tem ela de usar 
a rede social para tomar a decisão final? Se ela for prudente, conseguirá resolver tudo 
pessoalmente, já que possui também amadurecimento e sinceridade e, com certeza, Myke 
compreenderá e não usará o silêncio impulsivo. Dessa forma, não vai haver estranheza e 
falta de comunicação entre eles. Crystal sempre confiou em Myke e sempre se sentiu 
segura na presença dele, ambos trocando confidências e compartilhando mensagens de
variados assuntos. Ele já havia aceitado a decisão de Crystal por causa de uma antecipada 
conversa pessoalmente entre eles num parque. Bastava Crystal ter observado em Myke a 
tranquilidade dele em lidar com a decisão dela.

1 comentários :

Ro SV disse...

Gostei muito do seu blog e gostaria de lhe convidar a fazer parte da minha rede, através do Google+. Um abração.

3 de abril de 2016 12:55

Postar um comentário

Assuntos anteriores